Logo - CREDJUST | A Cooperativa de Crédito Mútuo dos Integrantes da Justiça do Trabalho da 13ª Região

(83) 3241-7203

10
Nobember 17, 2013

A IMPORTANCIA DA CAPITALIZAÇÃO NA COOPERATIVA DE CRÉDITO

A IMPORTANCIA DA CAPITALIZAÇÃO NA COOPERATIVA DE CRÉDITO
O capital social é o valor, em moeda corrente, que cada pessoa, ao ingressar na cooperativa, aporta, tornando-se legitimamente, associada.
De imediato associamos sua utilização, ao desenvolvimento de qualquer segmento de cooperativa ou mesmo de uma empresa mercantil. Mas na cooperativa de crédito, o seu papel, em muito, adquire, importância maior.
O valor de capital subscrito é estabelecido em Estatuto Social da CREDJUST, definido em quotas - partes de R$ 1,00 (um real) que é o valor da unidade da cota. Ilimitado e variável, de acordo com o número de sócios e a quantidade de cotas-partes subscritas.
Inicialmente, no ato de sua admissão, cada associado aporta 200 (duzentas) quotas - partes, que representam R$ 200,00 (duzentos reais).
Após essas definições iniciais, passamos para a etapa em que o sócio dá prosseguimento e integraliza, mensalmente, um valor, também definido em Estatuto Social, tendo como base um percentual sobre a sua remuneração salarial ou de seus ganhos pelo exercício de sua atividade.
Hoje, esse aporte mínimo mensal é de 1% (um por cento) sobre o seu vencimento básico.
A remuneração do capital e anual que recebe, ainda, a distribuição do resultado apurado na cooperativa, integrando a conta capital de cada associado, de acordo com o volume de operações que o mesmo praticou no decorrer do exercício.
Considerando essas práticas, torna-se excelente negócio aportar capital.
O capital social integralizado pertence ao associado e não poder ser transferido a terceiros, porém é de sua propriedade ou de seus herdeiros.
Sem capital próprio a cooperativa perde sua independência, ou melhor, sequer a adquire. E é esse montante de capital aportado pelos sócios, a principal alavancagem das operações de crédito concedidas aos próprios sócios, objetivo principal de uma cooperativa de crédito.
Esse investimento contribui, decisivamente, para o fortalecimento da cooperativa, do Sistema Cooperativo Nacional, trazendo o respeito das autoridades, da sociedade, dos órgãos de autorização de funcionamento e de representação do sistema.
A capitalização conduz à cooperativa à autossuficiência, reduz a dependência de recursos externos e possibilita a prática do crédito com taxas mais atrativas que as do mercado bancário, já que adquirimos os meios próprios de financiamento e não temos o objetivo do lucro.
O associado, efetivamente, passa a obter recursos financeiros com baixo custo e em prazos mais longos.
Cooperado lembre-se, que a integralização de capital nas cooperativas de crédito e na CREDJUST traz não só o fortalecimento, mas constitui-se em uma importante poupança para os seus associados, compondo e servindo de base de análise na concessão dos limites de crédito.
Pontos para refletirmos:
Capital, fator de estabilidade de uma instituição e da cooperativa de crédito.
Com capital próprio não oneramos, desnecessariamente, o sócio.
A razão da existência da cooperativa de crédito é a de ser uma alternativa democrática, justa, solidária e equitativa, em contraponto ao modelo bancário convencional.
O êxito de uma cooperativa de crédito depende da capitalização mensal, do sucesso das operações de crédito e do resultado anual que obtemos.
Capitalização, investimento em longo prazo, o resultado é uma poupança garantida.
Programe seus investimentos e aporte cotas extras de capital.


A Diretoria da CREDJUST.

Gostou deste post? Compartilhe!

Comentários 0

Deixe um comentário

 
Fale conosco agora