0
3 de dezembro de 2014

CAMPANHA DE ADESÃO DE NOVOS COOPERADOS/CAPITALIZAÇÃO DE 2014-2015

//

 

Abrir Regulamento: http://issuu.com/credjust/docs/y_credjustdivulgacao_e_eventoscampa?e=3110068/10413735

A Campanha de adesão da CREDJUST tem por objetivo:

a) difundir a filosofia cooperativista, sua finalidade e benefícios proporcionados aos participantes de uma Cooperativa;
b) estimular o aumento do número de cooperados e a permanência destes na Cooperativa;
c) aumentar o volume de recursos financeiros disponíveis aos Cooperados, através das integralizações mensais e dos depósitos a prazo;
d) melhorar os resultados operacionais possibilitando uma rentabilidade mínima do Patrimônio Líquido – PL de 20% (vinte por cento) a.a;
e) aumentar o volume de produtos e serviços da Credjust.

 

0
20 de novembro de 2014

A IMPORTANCIA DA CAPITALIZAÇÃO NA COOPERATIVA DE CRÉDITO

//

A IMPORTANCIA DA CAPITALIZAÇÃO NA COOPERATIVA DE CRÉDITO
O capital social é o valor, em moeda corrente, que cada pessoa, ao ingressar na cooperativa, aporta, tornando-se legitimamente, associada.
De imediato associamos sua utilização, ao desenvolvimento de qualquer segmento de cooperativa ou mesmo de uma empresa mercantil. Mas na cooperativa de crédito, o seu papel, em muito, adquire, importância maior.
O valor de capital subscrito é estabelecido em Estatuto Social da CREDJUST, definido em quotas - partes de R$ 1,00 (um real) que é o valor da unidade da cota. Ilimitado e variável, de acordo com o número de sócios e a quantidade de cotas-partes subscritas.
Inicialmente, no ato de sua admissão, cada associado aporta 200 (duzentas) quotas - partes, que representam R$ 200,00 (duzentos reais).
Após essas definições iniciais, passamos para a etapa em que o sócio dá prosseguimento e integraliza, mensalmente, um valor, também definido em Estatuto Social, tendo como base um percentual sobre a sua remuneração salarial ou de seus ganhos pelo exercício de sua atividade.
Hoje, esse aporte mínimo mensal é de 1% (um por cento) sobre o seu vencimento básico.
A remuneração do capital e anual que recebe, ainda, a distribuição do resultado apurado na cooperativa, integrando a conta capital de cada associado, de acordo com o volume de operações que o mesmo praticou no decorrer do exercício.
Considerando essas práticas, torna-se excelente negócio aportar capital.
O capital social integralizado pertence ao associado e não poder ser transferido a terceiros, porém é de sua propriedade ou de seus herdeiros.
Sem capital próprio a cooperativa perde sua independência, ou melhor, sequer a adquire. E é esse montante de capital aportado pelos sócios, a principal alavancagem das operações de crédito concedidas aos próprios sócios, objetivo principal de uma cooperativa de crédito.
Esse investimento contribui, decisivamente, para o fortalecimento da cooperativa, do Sistema Cooperativo Nacional, trazendo o respeito das autoridades, da sociedade, dos órgãos de autorização de funcionamento e de representação do sistema.
A capitalização conduz à cooperativa à autossuficiência, reduz a dependência de recursos externos e possibilita a prática do crédito com taxas mais atrativas que as do mercado bancário, já que adquirimos os meios próprios de financiamento e não temos o objetivo do lucro.
O associado, efetivamente, passa a obter recursos financeiros com baixo custo e em prazos mais longos.
Cooperado lembre-se, que a integralização de capital nas cooperativas de crédito e na CREDJUST traz não só o fortalecimento, mas constitui-se em uma importante poupança para os seus associados, compondo e servindo de base de análise na concessão dos limites de crédito.
Pontos para refletirmos:
Capital, fator de estabilidade de uma instituição e da cooperativa de crédito.
Com capital próprio não oneramos, desnecessariamente, o sócio.
A razão da existência da cooperativa de crédito é a de ser uma alternativa democrática, justa, solidária e equitativa, em contraponto ao modelo bancário convencional.
O êxito de uma cooperativa de crédito depende da capitalização mensal, do sucesso das operações de crédito e do resultado anual que obtemos.
Capitalização, investimento em longo prazo, o resultado é uma poupança garantida.
Programe seus investimentos e aporte cotas extras de capital.


A Diretoria da CREDJUST.

0
18 de novembro de 2014

ASSEMBLEIA GERAL EXTRAORDINÁRIA 2014

//

O Sr. Joy Allan de Sousa, Diretor Presidente da Cooperativa de Crédito Mútuo dos Integrantes da Justiça do Trabalho da 13ª Região - Ltda, no uso das atribuições que lhe confere o Estatuto Social, convoca os cooperados, que nesta data são em número de 762 (setecentos e sessenta e dois), para se reunirem em Assembleia Geral Extraordinária, a realizar-se em 29 de novembro de 2014 (SÁBADO), no auditório da Sede Administrativa da Astra(Associação dos Servidores da Justiça do Trabalho da 13ª Região), situado na Avenida Coremas, nº 117, Centro João Pessoa - PB, 58.013430, com a 1ª convocação, às 08h00min, com a presença de 2/3 (dois terços) dos cooperados; a 2ª convocação, às 09h00min, com a presença de metade mais um dos cooperados; 3ª e última convocação, às 10h00min, com a presença de no mínimo 10 (dez) cooperados. A Assembleia será realizada fora da sede da Cooperativa, face a mesma não ter espaço físico para acolher o número de associados e para maior acomodação e segurança dos mesmos. A assembleia irá deliberar sobre os seguintes assuntos:
ORDEM DO DIA:

1. ASSEMBLEIA GERAL EXTRAORDINÁRIA
1.1. Reforma parcial do Estatuto Social:
1.1.1. Alteração dos artigos: Art. 13º; Art. 14º § 3º; Art. 15º; Art. 17º e inclusão do § 4º ; Art. 18º, § 1º, 2º e inclusão das alíneas “a” a “g” no § 2º, inclusão do § 3º; inclusão do parágrafo único no Art. 19º; inclusão do § 4º no Art. 48º.
1.2. Reforma do Regimento Interno
         1.2.1. Alteração do Capítulo II, Art. 10º § 2º, § 3º, § 4º.
1.3. Aprovação do Regulamento do fates.

                

João Pessoa, 18 de novembro de 2014